Hospital

Décadas de 20 e 30 marcam início do Hospital Ouro Branco

Primeiras instalações do hospital nas décadas de 20 e 30
Primeiras instalações do hospital nas décadas de 20 e 30
Primeiras instalações do hospital nas décadas de 20 e 30
Primeiras instalações do hospital nas décadas de 20 e 30

O início do Hospital Ouro Branco, de Teutônia, remete ao século passado, ao final da década de 20 e início da década de 30. Foi naquela época que o médico João Basílio Lavrinenco chegou à Vila de Languiru, hoje Bairro Languiru, e iniciou suas atividades. Antes dele, já estava na localidade o Dr. Gomes Ferreira, que conduzia as atividades da entidade, localizada em endereço próximo onde hoje está o Centro Comunitário Martin Luther, no Bairro Languiru. O prédio pertencia a Bertholdo Stapenhorst e a manutenção do hospital ficava por conta da família Hilgemann. No prédio de material funcionava a parte clínica e, ao lado, um salão com divisórias de meia parede abrigava os quartos.

Início das obras do Hospital Ouro Branco no atual endereço, em 1944
Início das obras do Hospital Ouro Branco no atual endereço, em 1944

Considerando a precariedade das instalações e após desentendimento com a família que mantinha o hospital, alguns anos depois foi o próprio Lavrinenco que resolveu pela construção de um novo hospital, cujas obras iniciaram em 1944 e foram concluídas em 1945. O novo prédio possuía uma área construída de 582m2, 13 quartos com 18 leitos, entre outras dependências. A antiga ala do hospital ainda mantém alguns traços de sua origem até os dias de hoje e integra o complexo da casa de saúde no Bairro Languiru.

Como forma de reconhecimento a importância da gordura animal para a economia local e regional, alimento produzido em grande escala comercial, Lavrinenco decidiu pelo nome de Hospital Ouro Branco.

Inauguração de nova ala do hospital
Inauguração de nova ala do hospital

O quadro de colaboradores da casa de saúde na época era de oito pessoas, entre eles o médico Dr. Lavrinenco, o farmacêutico Eugênio Scheckanov, o auxiliar farmacêutico Jorge Stelcowsky, a parteira Georgina Greef, a auxiliar de enfermagem Angelina Dilli, os funcionários da cozinha Oscar Valber e Ida Kreiwe Valber e a serviços gerais Gerda Prass.

João Lavrinenco veio a falecer em 1963, quando o hospital já contava com os trabalhos do Dr. Hércio Pêgas, que passou a atuar no local em 1957. Na década de 60 também passou a clinicar no Hospital Ouro Branco o teutoniense Dr. Silvério Schneider.


Identidade Institucional

NOSSO NEGÓCIO

Bem estar físico, emocional e social.

NOSSA MISSÃO

Proporcionar soluções em saúde com qualidade no atendimento para todos que utilizam os serviços do HOB, tornando-o sustentável e contribuindo para o bem estar da comunidade.

NOSSA VISÃO

Ser reconhecido regionalmente como uma instituição de saúde com atendimento humanizado e qualificado buscando a sustentabilidade até 2020.

NOSSOS VALORES

Pessoas em primeiro lugar ;

Equipe comprometida;

Fortalecimento da  Imagem e Confiança;

Atendimento com Qualidade;

Comportamento ético;

Busca da Inovação;

 

HOB-Hospital-Ouro-Branco
HOB – Hospital Ouro Branco, atualmente