Hospital Ouro Branco arrecada R$ 30 mil com projeto de Bandejas Solidárias

Recurso será investido na retomada da obra de acesso externo ao Serviço de Diagnóstico por Imagem

 

Colaboradores do HOB estiveram envolvidos na organização do projeto “Bandejas Solidárias”

No mês de setembro os colaboradores do Hospital Ouro Branco (HOB), de Teutônia, reeditaram ação do projeto “Bandejas Solidárias”. A 2ª edição da iniciativa comercializou 4.268 bandejas com doces e salgados, ao preço de R$ 12,00 cada, cujo valor líquido arrecadado foi de R$ 30.395,00. O recurso será investido na retomada da obra de acesso ao Serviço de Diagnóstico por Imagem (SDI), separando esses clientes e pacientes do fluxo de acesso ao Pronto Atendimento.

Em 2016 a iniciativa comercializou 5,3 mil unidades, cujo valor líquido de aproximadamente R$ 25 mil auxiliou a casa de saúde nas despesas básicas mensais. Embora a expectativa inicial era de comercializar cerca de sete mil bandejas, possibilitando rendimento líquido de aproximadamente R$ 49 mil, a campanha solidária foi satisfatória. “Sem dúvida o resultado foi positivo. Compreendemos e temos a sensibilidade de perceber que a crise está afetando toda a economia e, por consequência, todas as empresas, especialmente pequenas e médias, e todos os cidadãos. Portanto, haveria uma venda menor, embora tenha ficado muito próxima do ano anterior”, avalia o diretor-executivo do HOB, André Lagemann.

A partir disso, o hospital busca outras parcerias para executar por completo a obra de acesso ao SDI. “Embora o recurso tenha sido significativo, ainda não é o suficiente. Agradecemos a todos que acreditam no nosso trabalho, reconhecem a importância do hospital e sabem da necessidade desta porta estar aberta 24 horas por dia. Vamos avaliar oportunamente a continuidade do projeto ‘Bandejas Solidárias’, mas acredito que uma campanha com uma causa definida sempre terá eco e apoio da comunidade”, ressalta Lagemann.

Envolvimento da comunidade

Empresas possibilitaram comercialização e entrega das bandejas aos seus funcionários

Lagemann ressalta a importância de toda e qualquer doação em benefício do HOB, citando como exemplo a Campanha Mãos Dadas com a Saúde, desenvolvida numa parceria com a Certel Energia. “Vemos que todos os hospitais filantrópicos, não somente aqui no Estado, mas em todo o país, buscam esse apoio da comunidade para manutenção das atividades e, inclusive, para construção de novos serviços. O HOB possui um grande projeto de construção da UTI, que elevará a resolução do hospital a um novo patamar de complexidade, com mais profissionais, e garantirá um atendimento local mais resolutivo à comunidade”, frisou o diretor-executivo, acrescentando que muitas pessoas ainda não despertaram para a relevância desse projeto. “Só nós sabemos a agonia, o sofrimento e a angústia das pessoas quando é necessário buscar leito de UTI para um paciente. O apoio de toda a sociedade, das empresas e do poder público é absolutamente relevante para que um projeto como esse se realize”, conclama.

Nesse sentido, Lagemann reforça a gratidão do HOB com todas as doações que são recebidas, especialmente nos últimos anos. “A comunidade, de fato, abraça o seu hospital. Somos uma entidade local e comunitária, com o objetivo de proporcionar bem-estar às pessoas que necessitam dos nossos serviços. Temos a consciência de que podemos auxiliar no desenvolvimento local e regional, prestando serviços de saúde, gerando empregos e contribuindo com a economia”, reforça. Hoje, entre funcionários, médicos e demais serviços auxiliares, o HOB gera 300 empregos diretos.

                Situação             

Depois de sofrer com atrasos no repasse de recursos do Governo do Estado e da União, o que afetou diretamente o caixa da casa de saúde, comprometendo, inclusive, o pagamento de fornecedores e profissionais, o HOB segue trabalhando na busca pelo equilíbrio financeiro. “Tivemos uma redução de repasses de receitas dos Governos Federal e Estadual de R$ 220 mil por mês, além de irregularidade no calendário de pagamentos, o que afetou diretamente nosso fluxo de caixa. Hoje, com a Gestão Plena em Saúde do município de Teutônia e com uma decisão judicial que obriga o Estado a efetuar em dia os repasses, esse problema de calendário de pagamentos está momentaneamente resolvido, porém, restaram diversos pagamentos por conta da situação anterior e que ainda precisam ser pagos e solucionados. Também colaborou o repasse adicional e em dia dos municípios de Teutônia, Poço das Antas, Westfália e Paverama, que são estratégicos para o hospital”, conclui Lagemann.

 

Texto: Leandro Augusto Hamester
Crédito das fotos: Divulgação HOB